Partida comentada GM El Debs [2497] x GM Lagrave [2699]

mf_aranha_site

all_down_pgn


(1) El Debs,Felipe de Cresce (2497) – Vachier Lagrave,M (2699) [A15]

Gibraltar Open Caleta ENG (5.12), 28.01.2012

Antes de deixar a palavra com o Felipe, gostaria de dar meu testemunho da emoção que foi presenciar essa grande partida que ocorreu no Open mais forte do mundo em Gibraltar (ING) 2012. Foi um evento memorável e o clima na delegação brasileira, composta pelo Felipe, Molina, Fier e eu era de muita camaradagem e torcida mútua. Felipe fez na minha opinião o melhor torneio de um brasileiro no ano e por isso votei nele como melhor jogador brasileiro em 2012. Aproveito para agradecer a sua generosidade,por compartilhar suas análises com os leitores do site. Fiquem agora com a partida que foi, uma obra prima do GM brasileiro, com comentários e análises do próprio. Relaxem e aproveitem! (Álvaro Aranha) Queria aqui agradecer o convite do meu amigo Alvinho para mostrar uma partida minha e ao mesmo tempo poder rever esse filme de final feliz. Não tenho a intenção de imundar as análises com variantes, já que todos temos um programa em casa que pode fazer este serviço com bastante competência, mas tentarei explicar as decisões mais importantes.(Felipe El Debs)

1.Nf3 Antes da partida apenas queria jogar de forma sólida e procurar bons lances, é interessante notar como o francês consegue complicar uma variante simples em poucos lances, atitude necessária para um torneio aberto.

1…Nf6 2.c4 b6 3.g3 c5 4.Bg2 Bb7 5.Nc3 g6 6.0–0 Bg7 7.d4 cxd4 8.Qxd4 Nc6!? Ótima decisão das negras, apesar de ser o segundo lance mais jogado da posição eu não conhecia esta possibilidade e com isso já teria que resolver meus próprios problemas sem a ajuda outros GM’s e das maquinas. [8…d6 (Partida Kramnik Aronian)]

9.Qh4?! Primeiro problema a resolver e primeiro fracasso, de um modo geral, na variante com 8…d6 as brancas só jogam a dama para h4 depois que as negras rocaram exatamemte porque h6 é um lance que causa sérios disconfortos ao branco, mas nesse caso específico fui seduzido por 10.Cd4 e embarquei nessa sequência que se não duvidosa, no mínimo nebulosa, ou seja, exatamente o que meu adversário mais forte queria. [9.Qf4 Rc8 10.Rd1 0–0 11.Rb1! d6 12.b3 Nb8! 13.Bb2 Nbd7 Com algo muito próximo da igualdade.]

9…h6! Criando a ameaça g5-g4.

10.Nd4 g5 Me parece a sequência lógica do lance anterior das negras, já que caso contrário ficaria difícil rocar.

11.Nxc6 [Uma idéia, se aproveitando da cravada na grande diagonal, que poderia fazer sentido para não abrir a coluna d para as negras seria: 11.Qh3?? g4 12.Qh4 Nxd4 13.Bxb7 Nf5–+ Variantes como esta reforçam o ditado que o Inferno está cheio de boas intenções.]

11…dxc6 [11…Bxc6?! 12.Qd4² E as fraquezas das negras na ala do rei dão as brancas uma pequena vantagem.]

12.Qh3 Qd4!N Ótimo lance com idéia de minar o peão de c4 e quando a dama tomar em c4 será criada a terrível ameaça de Bc8. [12…Qd7 Uma alternativa que foi jogada nesta posição, com algo próximo a uma igualdade, mas só brancas teriam chance de vitória.]

13.Nb5 Achei que valia a pena embarcar nessa sequência obscura para não ficar com um peão a menos por nada.

13…Qe5 14.Be3 Independente de se saber o rumo que queremos tomar é sempre bom desenvolver, se no futuro as coisas derem errado muito provavelmente algum contrajogo vai ser obtido.

14…Rd8? [14…0–0! Ameaçando Bc8, já que Bxc6 não é mais com xeque. 15.Nd4 Bc8 16.Nxc6 Qd6 17.g4 Bxg4 18.Qg3 Bxe2 19.Rfe1 Bxc4 20.Qxd6 exd6 21.Ne7+ Kh7 22.Bxa8 Rxa8 Chegando a um final complexo, que ambos os lados tem suas chances.]

15.Nxa7! É difícil explicar como com uma Dama em h3 e um cavalo em a7 a posição das brancas pode ser boa, fora o fato de que o meu cavalinho pode nunca mais ver a luz do dia. A explicação está primeiro numa razão tática que impede as negras de ganharem a peça, em segundo em a7 existe o controle da casa c6 e c8 e ao cair a7 b6 fica fraco e para as negras resolverem esses problemas as brancas conseguem se reorganizar.

15…Qc7 [15…g4 A idéia principal das negras é impedirem que a dama branca volte ao jogo, mas com isso h6 sempre será um problema e o rei negro deve seguir no centro. Mas de qualquer forma creio que era a melhor possibilidade de defesa, embora as negras tenham mais dois lances para pensarem em g4. 16.Qh4±]

16.a4! Ra8 17.a5 Bem a tempo.

17…bxa5 [17…Rxa7?? 18.axb6+-]

18.Qf5+- A dama entrando de volta no jogo com o peão de a5 fraco faz a situação negra bastante delicada.

18…e5?! [18…0–0 19.Qxa5 E no máximo da depressão as negras não podem nem trocar as damas para defender um final com peão a menos pois c6 cai forçado.]

19.b4! Este lance tem uma razão bem objetiva de preparar Bc5 e impedir o roque negro, mas ao mesmo tempo foi feito em considerações gerais, apenas para abrir linhas e assim gerar mais temas táticos. [19.Bc5? Nd7]

19…axb4 20.Bc5 b3 Objetivamente as negras tem feito escolhas pobres nos últimos lances e contra um computador seria um suicídio, mas durante a partida tinha certeza que as negras jogariam dessa forma, para de alguma maneira perturbar o curso normal dos eventos.

21.Rfd1 Apesar de ter gasto algum tempo procurando um arremate, que de fato existia e havia observado, admito que meus nervos me pegaram, e mesmo não vendo refutação para Bxc6+ preferi trazer a última peça para jogo, pois não achava possível que esta posição não estivesse ganha, mas é dicutível se essa atitude é correta, qualquer posição de ataque em algum momento tem que vir a pancada e adiar por muito tempo pode deixar a oportunidade passar. [21.Bxc6+! Bxc6 22.Nb5! Seria uma forma bruta de acabar a partida. 22…Qb8 23.Bd6+-]

21…b2 22.Ra2 [22.Bxc6+!! Bxc6 23.Nb5 Esse seria uma versão ainda mais mortal do arremate do lance anterior, mas este eu admito que não considerei. 23…Qb8 24.Rxa8 Bxa8 25.Bd6+-]

22…Nd7 23.Rxb2 Impossível adiar, fechei os olhos e fui. Jogadores do meio do século passado ao analisar suas partidas para livros ou revistas tentavam fazer suas partidas parecem cristalinas e que eles anteviam todos os problemas, talvez para tentarem gerar uma intimidação para quem acreditasse em suas palavras, a principal exceção sendo Botvinnik. Hoje com o advento dos programas é fácil perceber que somos todos falhos.

23…Nxc5 24.Rxb7! Gosto bastante do arremate por se tratar de sacrificar uma torre ativa por um bispo passivo, simplesmente porque era o bispo de b7 que segurava toda a posição.

24…Nxb7 25.Bxc6+ Kf8 26.Rd7 Qxd7 [26…Nd6 Obviamente a melhor opção para tentar resistir. 27.Qd3! Seguindo o ataque e as negras vão ter que devolver com juros o material.(27.Rxc7 Nxf5 28.Bxa8 Seria uma opção razoavel para seguir sem maltratar meu coração, mas duraria mais a partida e existiria algumas chances de se salvar.) ]

27.Qxd7 Rxa7?! Quando meu adversário efetuou este lance eu fiquei tentando entender o que estava acontecendo. Porque que eu não havia considerado esta lance nos meus cálculos? E nisso observo alguns jogadores de 2700 olhando com atenção minha partida, e eu me xingando porque tinha estragado tudo, já que se tomo o cavalo ele joga Bf6 seguido de Rg7 e tem ótimas chances de escapar, bom, vamos ver se tenho algum xeque para tomar o cavalo em melhores condições, Dc8+ não parece grande coisa, vishhhhh, De8 é mate. Não sei se é intuição ou se é sorte.

28.Qe8#! 1–0

2 comentários em “Partida comentada GM El Debs [2497] x GM Lagrave [2699]

  • 16 de abril de 2013 a 17:40
    Permalink

    Esta partida tá boa demais pra gente tecer algo nobre à altura do jogo.

    O Francês não é fácil, eles tem atualmente uma geração muito valorosa,
    essa vitória tem que ser bem comemorada!

    Responder
  • 21 de abril de 2013 a 18:59
    Permalink

    Boa Felipe,

    Uma analise divertida e explanando muito como não são só os capivaras que sofrem nas posições críticas de arremate.

    Agora sua analise final valeu uns 5 minutos rindo. kkkk

    Parabéns pela partida.

    Responder

Deixe uma resposta para Leandro Souza Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *