Entrevista com o professor Charles Moura Netto

O portal Xadrez Total entrevista o professor Charles Moura Netto, que fala sobre xadrez pedagógico.

Muitos de nossos leitores já leram a matéria que foi publicada por Xadrez Total sobre o professor Charles Moura Netto. Alguns deles, além de elogiarem o artigo, enviaram perguntas mais específicas sobre xadrez pedagógico.

Como quem dita o ritmo do portal são os leitores, preparamos uma curta – porém específica – entrevista com o especialista em questão.

Portal Xadrez Total: O que é xadrez pedagógico?
Professor Charles Moura Netto:
O xadrez pedagógico é uma manifestação da prática do jogo de xadrez que possibilita otimizar as habilidades cognitivas do processo ensino aprendizagem em educação formal e não formal. O xadrez pedagógico geralmente se desenvolve através de projetos educacionais que além da prática do xadrez, possam intermediar o diálogo entre saberes (matemática, física, português, inglês, história, geografia, artes, química, educação física, etc) da educação. O xadrez pedagógico pode ser introduzido nas disciplinas de todos níveis de educação (ed. Infantil, ed fundamental, ensino médio e superior) através de “tema transversal” em consonância com os conteúdos programáticos previstos nas disciplinas. O xadrez pedagógico possibilita também aos indivíduos que o praticam a discussão de valores morais, sociais, cognitivos e posturas individuais e coletivas. Em suma, o xadrez é utilizado como ferramenta de desenvolvimento de habilidades amplamente conhecidas como atenção, concentração, tomada de decisão, disciplina, determinação, cálculo abstrato e concreto, planejamento e outros e que se alinhem com o ensino dos conteúdos das disciplinas escolares e de condutas morais.

XT: Qual a diferença entre o xadrez pedagógico e o xadrez escolar?
Professor Charles:
O xadrez em ambiente escolar (educação formal) e´uma das manifestações do xadrez pedagógico, porém o xadrez pedagógico pode ser desenvolvido em ambientes de educação não formal (exemplo, projetos sociais) para desenvolvimento de habilidades cognitivas. O próprio xadrez escolar pode ter dois propósitos distintos e que se complementam como esporte e rendimento e como ferramenta para estimulo de competências intelectuais, morais, sociais e coletivas. Mas é válido registrar que o xadrez escolar e pedagógico “andam” juntos na construção de indivíduos “empoderados” de habilidades.

XT: Existem competições de xadrez pedagógico?
Professor Charles
: As competições de xadrez que valem rating, ou formatos que são homologados pela CBX e FIDE são restritas a prática esportiva e o xadrez pedagógico não têm como objetivo a performance esportiva, sendo assim não temos competições oficiais de xadrez pedagógico. O xadrez pedagógico não busca o reconhecimento de colocações (1° lugar, 2° lugar e 3 ° lugar) e sim a massificação e inclusão do maior número possível de praticantes e as benesses dessa prática.

XT: O xadrez pedagógico não sendo uma prática esportiva, como é legitimado?
Professor Charles:
De direito, o xadrez pedagógico pode ser desenvolvido nas escolas ou como política pública das secretarias municipais ou estaduais de educação como tema transversal a partir Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional-Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 que relata em seus artigos 26 e 32 que a educação fundamental e média poderá ser complementada em cada sistema de ensino e estabelecimento escolar, por uma parte diversificada, exigida pelas características regionais e locais da sociedade, da cultura, da economia e da clientela e que deverá estimular as atividades que possam estimular o cálculo, a leitura, à escrita, a resolução de problemas, entre outros. No meio acadêmico, o lúdico no campo educacional é amplamente debatido e a importância do jogo para o desenvolvimento humano tem sido objeto de estudo das mais diferentes abordagens e convergem como metodologia significativa de ensino.

XT: Em quais países o xadrez pedagógico é desenvolvido?
Professor Charles:
A prática do xadrez pedagógica  é antiga no mundo e países como Alemanha, França, Itália, Suiça, Estados Unidos, Rússia, Espanha, Canadá, Holanda, Hungria  Cuba, Argentina, Venezuela, Colômbia, Turquia e o próprio Brasil entre outros já desenvolvem tanto o xadrez esportivo escolar quanto o projeto de xadrez pedagógico ( com algumas variações regionais e culturais).

XT: Você foi indicado com um dos membros da CICS, Comissão Mundial de Xadrez nas escolas, como a FIDE vê a inclusão do Xadrez nas escolas?
Professor Charles:
A reformulação da CICS, Chess in School  Commission, em 2010 tendo o turco Ali Nihat Yazici como Chairman, está sendo fundamental para arquitetar um plano audacioso de massificação do xadrez escolar e principalmente de reabrir em âmbito mundial a discussão da importância da inclusão da prática do xadrez nas escolas deste as mais  tenras idades.

Por AI Mauro Amaral e AR Vivian Heinrichs

Um comentário em “Entrevista com o professor Charles Moura Netto

  • 14 de abril de 2011 a 18:34
    Permalink

    A prática do xadrez escolar é de suma importância , sou professor há muitos anos e já formei dois mestres de xadrez , o xadrez é importante na vida deles , com certeza ser professor de xadrez é a coisa mais gratificante que aconteceu na minha vida !!!!
    Parabéns ao professor Charles e a todos os professores de xadrez do Brasil!!!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *